domingo, 29 de maio de 2011

A Feira das Noivas e a Fanfarra...

Este é um assunto que merece destaque, por isso resolvi fazer um post só pra ele...

Eu sempre soube que queria violino na igreja, pois acho muito romântico, mas a Flavia (minha cerimonialista) me explicou que só um violino não dá um efeito legal. E decidimos pela formação dos meus instrumentos prediletos: Violino, Saxofone e Teclado. Eu nunca tinha escutado, pois confesso que não sou uma frequentadora de casamentos e na maioria das vezes "a atrazilda aqui" não conseguia chegar a tempo pra cerimônia (é claro que esse cenário mudou... rs). A Flavia me perguntou se eu queria que tivesse "fanfarra" e eu perguntei "o que é isso?". Quando ela me explicou que eram cornetas anunciando a entrada da noiva, respondi na hora: "Aff, que bobagem Flavia, isso não tem nada a ver comigo, eu não tenho essas frescuras, nem o Rafael. Sem chance!" Por coincidência, o grupo que estávamos cotando lá na feira estava se preparando pra fazer uma apresentação.
Esperamos pra ver a formação. Pedi ao violinista pra tocar uma música pra mim: Sweet child o`mine. Ele tocou na hora de improviso, fiquei encantada.
De repente eles se alinharam e a "fanfarra" ou "clarinada" começou. Comecei a imaginar as pessoas dentro da igreja e as portas se abrindo e a noiva sendo avistada e aquilo começou a entranhar dentro de mim. Eu me arrepiei dos pés a cabeça e aí começou a marcha nupcial. Meu Deus, que coisa linda. 


Nunca pensei em entrar na igreja com a marcha nupcial, mas depois daquele momento, eu compreendi que eu quero TUDO ISSO! Quando eu mostrei a fanfarra pro Rafa, ele também amou e tive certeza!
Estudei numa escola de piano dos 5 aos 10 anos de idade. A tia Keila é a dona da Escola de Música Dó-ré-mi até hoje. Liguei pra ela pra perguntar se ela poderia me indicar algum grupo pra tocar na igreja pra mim e pasmem, ela mesma tocará o teclado no meu casamento. Vai ser muito especial.
Agora só tenho que arrumar um músico que toque a corneta na entrada. Se alguém souber, por favor me indique.

Cada dia mais, entendo que casamento não se trata de ter os profissionais que saem nas revistas e etc. Ele precisa ter a ver com a sua história, com as coisas que acontecem, com o destino, se forem de revista e tiverem que ser os seus profissionais, de alguma forma, cruzarão o seu caminho, como no caso da minha querida fotógrafa xuxu, Andrea Paes e do meu querido Frei José Pereira, que mesmo "sem helicóptero" virá até a minha cidade natal pra celebrar meu casamento... rs. 

Beijos e até o próximo post.

3 comentários:

Lippi e Kinha disse...

Oiii...
Te achei passeando pelos blogs, estou seguindo! Me visita e me segue tb...
Vou te esperar!

Bjs
http://umalindapromessa.blogspot.com/

Lippi e Kinha disse...

Aaaah que coisa boa receber sua visita! Espero estar sempre por aki, o blog tem me ajudado muito, espero que possa ser mais uma das minhas amigas blogueiras virtuais!

Celinha disse...

Ahhhhhhhhhhhh que lindo!!!! Eu quase chorei lendo e me deu até uma vontadezinha de casar... Mas bem inha mesmo... hauhauahau
Beijossssssss!!!!